Notícias

Palestra do Prof. Bernardo Sordi –  Università di Firenze

terça-feira, 15 de setembro de 2020, às 14:41

Em 23 de setembro, quarta-feira, o Studium Iuris – Grupo de Pesquisa em História da Cultura Jurídica, promoverá, em colaboração com o Ius Commune – Grupo de Pesquisa em História da Cultura Jurídica (UFSC) e com a Università di Firenze (doutorado em Ciências Jurídicas, curriculum Teoria e História do Direito), uma conferência com o prof. Bernardo Sordi sobre seu novo livro, Diritto pubblico e diritto privato. Una genealogia storica (Bologna, Il Mulino, 2020).

A conferência será realizada em inglês.
Horário: 11:30 (Brasil); 16:30 (Itália).
A transmissão será realizada via YouTube neste link: https://www.youtube.com/channel/UCUFoIR7kgWpf2VgK3NtsaZg
Inscrições (não obrigatórias): https://docs.google.com/forms/d/1vvyH1v0oaqhwgii-jIDwS52E9TADyGX1OmrspA7wcxY
As perguntas devem ser enviadas por meio de formulário que ficará disponível durante a Conferência.
* Haverá emissão de certificados.

“Na percepção do jurista, público e privado são termos antigos. Entretanto, o longo itinerário que marca a chegada a essa grande dicotomia só começa com o estado moderno, que conforma o direito público, ao mesmo tempo em que o direito privado é capturado na órbita do individualismo jurídico. Com o fim do antigo regime, essa dicotomia se tornará o fundamento de toda a ordem jurídica, incorporando o equilíbrio tipicamente oitocentista entre Estado e sociedade, soberania e direitos; o século XX, por outro lado, perturbará tais fronteiras, introduzindo compromissos e misturas entre Estado e interesses econômicos, sociais e individuais, entre interesse geral e particulares. Nos anos mais recentes, a intensidade da globalização econômica e o empobrecimento dos programas constitucionais sugerem uma nova primazia do direito privado. Na perspectiva de uma unidade renovada do sistema jurídico, esse volume investiga a relação entre os ‘dois direitos’ em sua historicidade estratificada, convidando-nos a refletir sobre a necessidade de um equilíbrio razoável entre necessidades pessoais e coletivas, direitos e deveres, garantias e poderes”.